Make your own free website on Tripod.com

Home

A AMIZADE | PREDILETAS | POESIAS DE CASA E FAMÍLIA | COLEÇÃO DE GIFS E BARRAS | SENTIMENTO EM POESIA | HOMENAGEM A PORTUGAL | BEM HUMORADAS | Links relacionados | Contate-me | NOVAS POESIAS
Minha amiga Little Hut
PREDILETAS

Óculos de sol pequenos

"AS MINHAS FERRAMENTAS"


Escrever sem tema é difícil.
E eu, hoje, estou tão serena ...
P´ra escrever, tenho que estar
imbuída de um sentido,
sentimento se preferem,
que faça correr a "pena".

Raiva, amor, ódio, ternura,
desgosto, afecto, loucura ...
palavras que hoje não vem
empurrar minha "caneta",
que olha o papel com desdém.

Pus minas na "lapiseira".
Fiz café, já o bebi.
E, pensando em muita asneira,
continuo aqui sentada,
eu não estou nada inspirada,
ainda nada escrevi.

"Esferográfica" falhou.
Neste compasso de espera,
até a tinta me seca,
de pensar já estou careca
e o poema furou.

Procuro um "apara-lápis",
sempre vou ganhando tempo.
Abrir e fechar gavetas,
sem encontrar o que quero,
dá-me tempo p´ra pensar;
´té me faz arreliar,
alivia meu tormento!

Eu quero escrever, agora!
Eu tenho que ser capaz!
Eu escrevo, seja o que for ...
Poema lindo, de amor ...
Poema mau, de rancor ...
Mesmo, poema mordaz!

Chamei o cão, fiz-lhe festas.
Olhei p´ro gato a dormir.
Na janela, olhei as flores,
recordei os meus amores ...
Hoje, não vou conseguir!

Esperando onda de poesia,
fui passear no quintal.
No regresso, olhei p´ra isto!
Até nem está muito mal! ...
Olha, grande admiração!!!
O poema já está feito,
mesmo sem inspiração!

---------------

Little hut
9/2000



relogiolaura

"ENTRE AS 10 E AS 11"



Escrevo entre as 10 e as 11.
E entre as 11 e o meio dia.
Sempre q me falta o tempo
(para escrever),
até sinto uma agonia!

Eu fico desesperada!
Será que não falta nada?
Ou faltou a inspiração?
Essa não falta, isso não!
Ando é um pouco cansada!

Já se estava mesmo a ver,
que isto ia acontecer!
Se antes eu não tinha tempo,
p´ra toda a lida da casa ...
agora tiro duas horas ...
É fatal que a coisa atrasa!

Sou um pouco convencida.
Sinto-me predestinada.
Não gostam desta poesia?
Eu não estou nada ralada!

Já chegou a minha hora.
Ouviram-se as badaladas.
Tenho até o meu café
mais o prato com as torradas.

Vou sentar-me na marquise
com o bloco para escrever.
A janela toda aberta.
Pensamentos a correr.

Procuro folhas meio escritas
do poema inacabado.
Já encontrei. Estou a lê-lo!
Mas o pensamento, hoje,
deriva para outro lado.

Sem pensar no que escrevia,
escrevi o que não pensei.
No reino dos pensamentos,
a caneta foi rainha
onde o pensamento é rei!

-----------------
Little hut
10/2000






natulaura

"NATUREZA versus VIDA ECOLÓGICA"




EU, TU, NÓS, somos flagelo
que assolou a natureza.
Desde que estamos no mundo,
estragamos sua beleza.



É assim, o "BICHO HOMEM".
Sempre inventando, inventando,
deturpando o que Deus fez.
Não melhora, vai estragando ...
depois ... passados uns anos ...
quer repor tudo, outravez.



Estava tudo tão bem feito,
tudo tão bem planeado ...
mas chegou o "HOMEM BRANCO",
já está tudo adulterado!



EUROPA



Eis que chega o "EUROPEU",
de pele branca, bendito,
tanto inventa e adultera,
que devia ser proscrito!

ÁSIA



Esse "POVO AMARELADO",
pequenino e sossegado,
com seus jardins ancestrais ...
vivia plantando arroz,
árvore "Bonsai" retocando,
cultivando os arrozais.

ÁFRICA


Vejamos agora o "NEGRO",
bem integrado na selva:
cuidando bem da saúde,
remédios feitos de plantas,
colhidas e misturadas,
que ele tomava amiúde.

AMÉRICA


Relembrando a "RAÇA ÍNDIA"...
Respeitava a natureza!
Aceitando o que ela dava ...
movimentando rebanhos ...
mostrava mais esperteza!

OCEANIA


Do Continente gelado
chegam notícias ... bem vive,
em seus "igloos" instalado,
envolto em peles e no gelo,
povo que caça e convive.
Trata seus cães com desvelo!



Se Deus pôs tanta beleza,
nesta "BOLA" tão pequena ...
Não devemos estragá-la!
Não a cuidarmos, é pena!

Esta "BOLA", tão pequena,
tão bela de norte a sul,
(o mundo em que nós vivemos),
no contexto do Universo,
chama-se "O PLANETA AZUL"!




------------------

Little hut
8/2000

escreverpoemas

"ESCREVER POEMAS"


Eis as minhas "ferramentas"!
Servem para conquistar
sonhos, amores, tormentas;
castelos construir no ar.

Já delas tenho falado.
Já muito as enalteci.
"Lápis" de bico afiado,
escreveu o que atrás escrevi!

Já delas tenho falado.
A "caneta", sugeri,
"de tinta", já desusada.
Com ela isto não escrevi!

Era "tinta permanente";
caneta que não esqueci.
Escrevia-se, antigamente ...
Hoje, com "esfero" escrevi!

"Esfero", é meia palavra,
"gráfica", se eu entendi,
juntam-se p´ra escrever quadra
do poema que escrevi!

E havia a "pedra"... e a "pena"...
lembram anos que vivi! ...
Outra era ... anos cinquenta ...
com elas, muito escrevi!

Agora, há bonitos quadros
brancos. Eu tenho um aqui!
Escreve-se lá com canetas
às cores. Eu também escrevi!

Ainda estou a pensar ...
"Ferramentas" são centenas!
Se o coração não ditar,
elas não escrevem poemas!

------------------
Little hut
11/2000




florazul

SEMELHANÇAS!


Platónico é este amor.
Coisa assim, eu nunca vi!
E quem se quer bem devia,
ter seu amor junto a si.

Quem diz que amor é carnal,
desconhece aquele amor
que grassa entre corações
que se dão mútuo valor.

Eu vivo entre seres humanos.
Tu, lá longe, também vives.
Sofremos no dia a dia;
separadas, infelizes.

De tanto nos parecermos,
parecemos apaixonadas.
Parece que viveremos,
parecendo separadas.

Separadas pelo mar,
tão distantes, na lonjura...
Escrevemos, telefonamos ...
e-mails, fotos, à mistura.

Carpimos as nossas mágoas,
desfiamos emoções.
Choramos, quando infelizes.
Abrimos os corações.

Também temos alegrias.
É nossa capacidade
de artista, exteriorizar,
o que o peito tem vontade.

Nossas artes são diferentes.
Temos 'arte', algo diversa.
Confessamos mutuamente
que há 'arte' em nossa conversa.

Falamos tanto de nós,
das nossas vidas distantes.
Percebemos ser iguais,
parecemos dois amantes.

Nunca seremos felizes;
pois a própria felicidade
vem de um sentido comum
e da perfeita igualdade.

As reacções são parecidas,
os sentimentos perfeitos.
Se vivêssemos as duas,
não teríamos defeitos.

Vivência do dia a dia
acaba quando os casais
percebem que, só na cama,
as reacções são iguais.

Amizade é outra coisa.
Amizade é um sentido
que transforma 'amor de cama'
em algo mais reflectido.

Faríamos nossas vidas,
viveríamos tão bem ...
longe dos homens, egoístas ...
Irmãs tão iguais não tem!

---------------------

Little hut
2/2001
laurabmartins@netvisao.pt





Caixa de correio 1

PARA A MINHA AMIGA LER!


Estava a fazer qualquer coisa,
que não interessa p´ra aqui.
O pensamento perdido ...
rimando desocupado ...
e eu sentei-me e escrevi!

Vou já ao computador
escrever, para não se perder.
Inseri-lo num e-mail
para a minha amiga ler.

Ela lê, depois comenta.
Está tão longe ... no Brasil ...
Se ela entender o que escrevo,
será um no meio de mil.

Mesmo assim, valeu a pena
descrever o que senti;
se ela também puder ver,
puder sentir o que eu vi.

Descrevendo a sensação
feliz, de comunicar
com gente de outra nação,
dos outros não quero saber.
São gente sem coração!

Poesia de cada um ...
é p´ra quem a entender.
Ah! Sim ... não lhes faz sentido!
S .....ei! Têm mais que fazer! ...

-----------------------

Little hut
10/2000

Caneta-tinteiro

PALAVRAS, PARA QUÊ?



Meu pensamento diverso
vagueia pelo infinito.
Caminha num universo
de palavras, que um maldito
inventou p´ra confundir
tudo aquilo que eu sentia,
e precisava expandir.

A boca nada dizia.
Meus olhos é que falavam ...
e num relance abarcavam
tudo aquilo que cabia
num coração, que era grande,
e amava a terra distante
que lá ficou, na lonjura ...
ficou lá, em sepultura,
tudo aquilo que eu amei
e de que me separei.

P´ra quê inventar palavras,
se tanta coisa dizemos
sem pensar e sem sentir?
Deviam ser como escravas,
o imenso rol de palavras ...
jamais poderem sair!
Se não nos apercebemos
de todo o mal que fazemos,
só por nossa boca abrir.

E enquanto os olhos falam
as bocas palavras calam
p´ra não gerar confusões ...
deixemos que os pensamentos
conversem com os sentimentos,
discutam co´as ilusões ...

Num mundo de emudecidos,
imperavam os sentidos,
viviam-se as sensações.
Todos diferentes e iguais,
no mundo dos animais ...
Silenciem, multidões!

------------------

Little hut
10/2000


Óculos de grau

AMIGA LOUCA ...


Distantes! No meio ... o mar!
Não importa o que tu digas.
São os nossos disparates
que nos tem mantido vivas.

Então você acha mesmo
que é possível eu não rir?
Nunca sei o que você
vai inventar a seguir (...)

Eu tenho uma amiga louca!
Não sei que lhe hei-de fazer.
Quem dera ir visitá-la ...
fico eu louca de a não ver!

Vou olhando os teus retratos ...
imagino estar aí.
Se eu não posso estar contigo ...
Vem com teu país p´ra aqui!

---------------------------------

laurabmartins@netvisao.pt
Little hut
3/2001